sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Devaneios, fantasias e ficções
não me deixam adormecer e,
tampouco, acordar!

Nesta caatinga de galhos pensantes,
quem já mediu a largura
da linha entre o presente e o sonhar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário